O fluxo cármico do dinheiro

Quando trabalhas, estás a gastar a energia da tua vida, estás a colocar as tuas habilidades no universo e, em troca, estás a ganhar um ordenado. E quando não cobras taxas suficientes, taxas justas pelo excelente trabalho e serviço que estás a prestar, estás a quebrar o ciclo cármico do dinheiro.

Por outro lado, quando cobras taxas justas por um excelente trabalho que estás a fornecer, não só estás a manter o fluxo cármico do dinheiro, como estás a servir como um excelente modelo para eles também.

O dinheiro é uma energia e, como tal, só existe quando está em movimento.

A relação com o dinheiro reflecte com precisão o nível do nosso desenvolvimento espiritual. O dinheiro é uma ilusão, mas isso não significa que ele não tenha poder. Como toda a energia, o dinheiro não tem consciência moral. Toca a nós conferir- lhe moralidade através do uso que fazemos dele.

“Cada um de nós já possui uma riqueza infinita. Você não percebe esse facto porque a maior parte da sua riqueza está numa forma que você não reconhece como riqueza. Você possui tempo, energia, habilidades, ideias. Mas ainda não desenvolveu o conhecimento especializado para converter a riqueza que já possui em outras formas mais negociáveis de riqueza.” O poder do pensamento próspero

A verdadeira abundância vai além do bem material. É a consciência da totalidade, da unicidade e da qualidade, e não da consciência da separatividade , da multiplicidade e da quantidade.

Um dos primeiros passos para a conquista da verdadeira consciência da prosperidade é o despertar do sentimento de gratidão por tudo o que já possuímos, em vez de cultivar o sentimento de pesar por tudo o que nos falta. O sentimento universal da gratidão faz- nos entender e aceitar todos os factos da nossa vida como oportunidades que devem ser aproveitadas.

Pensamento positivo é outro factor fundamental da consciência da prosperidade: a qualidade do nosso pensamento determina não só a criatividade, mas também o êxito ou o fracasso dos nossos projectos financeiros. Quando esperamos o melhor, libera uma força magnética na nossa mente a qual, pela lei da atracção, tende a trazer o melhor para nós.

“Somos aquilo que pensamos ser.” Buda