A importância de estar sozinha.

Eu sempre achei que não tinha que fazer as coisas sozinha. Sempre aprendi a contar com os outros para tudo. Para mim, nunca fez sentido fazer algo sozinha.

Não sei porquê, mas sempre cresci a pensar assim. O que foi acontecendo na minha vida foi que sempre que ficava sozinha sentia- me triste, sem direcção, sem vontade, com uma grande angústia, sem saber muito bem o que fazer.

Desde sempre que os outros me dizem…”não vás sozinha”, “porque fazes sozinha? Não faz sentido fazer isso sozinha”, “vês os outros sozinhos?”, “não fiques em casa sozinha, isso faz te mal”, “não saias à rua sozinha”… Acho que levei esse sentido ao extremo.

Por muito que não quisesse, ou inconscientemente, isto sempre me perseguiu desde muito nova, e é como se nunca me tivesse conseguido libertar destes pensamentos. Não sei porque é que o passado não me deixa libertar tudo isto que está cá dentro. Acho que só agora comecei a dar lhes a devida atenção, só agora comecei a focar me neles e analisá los como nunca fiz. Mas é preciso estar sozinha, lá está, coisa que eu nunca fazia, porque mais uma vez os outros achavam errado. Já disse que estou farta do que os outros pensam?

Era como se eu nem pensasse em fazer ou ir sozinha, pois estava demasiado explícito na minha cabeça que ir/fazer sozinha não tinha lógica, não fazia sentido. Eu acho que nunca pensei por mim, que coisa mais estranha, falando nisso agora.

Eu acho que nem acreditava que conseguia ir ou fazer algo sozinha, como se algo me estivesse a prender e a dizer “tu não és capaz”.

Deixei de ser capaz de fazer as coisas sozinha. Para mim estava errado, e eu tinha sempre medo. Mesmo que fizesse algo sozinha, sentia me sempre em pânico. Acho que foi isso que desencadeou a minha fobia social, vendo bem as coisas, eu sempre senti que os outros me vão julgar por eu estar sozinha, pois na minha cabeça isso não é uma coisa natural. Sempre me senti muito melhor quando tinha alguém do meu lado.

Sair de casa sozinha, ir a algum lado sozinha, fazer qualquer tarefa para mim era um pesadelo. Digo era, mas continua a ser difícil para mim, apesar de estar a conseguir seguir em frente, e a alterar os meus pensamentos com treinos diários.

Os meus pensamentos estavam a tornar se demasiado tóxicos para mim, eram demasiado para mim, acho que o mundo começou a ser escuro, preto, não tinha mais cor. Estavam a tornar a minha vida num inferno.

Aprendi agora que eu tenho que fazer as coisas sozinha. É uma obrigação. Eu tenho que olhar para dentro de mim, e para isso tenho que estar sozinha, tenho que enfrentar a vida sozinha primeiro, saber que sou capaz. Eu posso escolher não fazer as coisas sozinha, mas eu sou capaz e não preciso de ninguém para fazer tudo na minha vida.

Depois de ter percebido que eram os pensamentos que estavam a destruir a minha vida, comecei a alterá los.

Ás vezes apetece me culpar os outros por estes pensamentos negativos (eu considero os negativos), mas nós temos que ter a capacidade de reconhecer os pensamentos que nos fazem bem e largar os que nos fazem mal. Para isso é preciso estar sozinha.

Que mal tem estar sozinha? Eu adoro estar sozinha, é a melhor coisa do mundo, estarmos connosco. Aprendemos tantas coisas quando estamos sozinhos. E não vamos viver para sempre connosco mesmos? Saber que ficamos bem, sem depender de ninguém… ADORO.

Disse demasiadas vezes “sozinha”? =D