O que é realmente importante para ti na vida?

Já sentiste que a tua vida te está a passar ao lado? Que quando dás por ela, já se passaram cinco, oito, dez anos, e a vida simplesmente passou e não tens, nem estás onde imaginavas um dia ter/estar? Que o que pensavas que gostavas de fazer, afinal não é importante para ti? Que o teu trabalho afinal é tudo o que não querias fazer? Alguma vez sentiste que só ias ser feliz se tivesses aquele trabalho, se tivesses aquela casa, se tivesses aquele dinheiro, se tivesses aquele telemóvel, se tivesses aquele carro, se tivesses aquele aspecto, se tivesses aquele corpo, se tivesses aquela vida?

E por mais que a vida vai passando, e por mais que venhas a ter, continua a ser tudo insuficiente? Queres isto e aquilo e quando tens, deixas de dar valor, porque já tens e só pensas no que podes ter a seguir? Já te aconteceu viveres assim? Insatisfeito, infeliz, ansioso, triste, aborrecido, onde só olhas para os outros, e pensas porque não posso ser assim também? Porque não posso ser feliz como os outros?

A busca constante pela felicidade é, todos os dias, confundida com o consumismo, como se eu fosse mais feliz se também tivesse aquilo, porque aquilo parece fazer os outros felizes, então se eles têm aquilo e estão felizes, eu também quero aquilo porque quero ser feliz, mas depois percebes que afinal não era aquilo que te fazia feliz, e é uma busca constante e sistemática nas nossas vidas. Toda a gente quer ser feliz, certo? Mas o padrão de uma vida feliz na sociedade é tão sobrevalorizado.

Bem, eu sou uma dessas pessoas, que sempre andei à procura da felicidade, e que tentava a todo o custo ter e sonhar com as coisas que as outras pessoas tinham. Estar tão obcecada em ter algo, que no fim de contas, não era aquilo. Nunca chegava, nunca era suficiente para mim. Esqueci me do que eu gosto, aliás, eu nunca soube o que gostava porque nunca olhei para mim. Eu era o espelho das outras pessoas, nem sequer me dava ao trabalho de olhar para mim, sempre em busca de algo que não tinha.

Não sei, só agora parei realmente. O que eu responderia à um mês ou dois atrás sobre a minha vida, não tinha nada a ver comigo. Eu só tentava ser e fazer o mesmo que os outros, sem me preocupar muito comigo. O eu que eu pensava que era, não era. Tudo bem, há coisas que eu não tolerava e a minha personalidade não deixa de ser a mesma, só comecei a olhar para dentro, como eu nunca tinha imaginado ser possível sequer. Nunca ninguém me falou nisso, ou se falou eu não tomei atenção. Parar, segundo muita gente, é inútil. Estar sem fazer nada, para muita gente é estúpido, é morrer, por isso, porque haveria eu de parar, se os outros pensam isso?

Só que eu percebi que não. Que não interessa o que os outros pensam se eu não me sinto bem. Só eu sei o que sinto e o que quero, e não vou deixar que mais ninguém pense ou ache por mim. Percebi que ninguém é igual a mim, e que eu não tenho que seguir os outros, nunca. Acho que sempre me preocupei demasiado com o que os outros pensam de mim, e o que esperam de mim.

Descobri que eu posso ser quem eu quero, quando quero, e fazer o que eu quero, quando quero, e ninguém tem nada a ver com isso. Posso não estar aqui amanhã, e o que fiz eu nesta vida? A ver a vida a passar? A fazer o que eu não gosto, todos os dias? Fechada num sítio a trabalhar o dia todo? Não é para mim. Pode ser para muita gente, mas não é para mim. Eu tenho que viver comigo mesma para sempre, por isso só isso interessa. Toda a gente tem uma opinião sobre tudo, e esqueci me que só a minha opinião sobre mim interessa. Ás vezes só apetece sair deste mundo e isolar me, perceber quem realmente sou, e adivinhem o que pensam os outros sobre isso… Não me interessa mais. Só eu posso saber o que é melhor para mim.

E, em relação ás “coisas”, deixaram de ter importância. Engraçado como as “coisas” deixam de ter importância no dia em que começas a olhar para dentro de ti, e percebes que não precisas dessas “coisas” para ser feliz. Quando pensas que podes ter tudo o que queres na vida, que nada é impedimento para isso, e vais mais além do que isso, talvez descubras o que é realmente importante para ti na vida.